Facebook
Cinco Miligramas de Misantropia

Artch – Já imaginou o Bruce Dickinson cantando no Metal Church?

Artch - Já imaginou o Bruce Dickinson cantando no Metal Church?

O Artch é uma banda de Power Metal norueguesa surgida na década de 80. Foram necessários apenas dois álbuns para que o grupo forjasse o seu nome no imaginário do público até hoje.

A sonoridade da banda é uma mistura do tradicional Power Metal europeu oitentista com metal tradicional. Ali na linha do Running Wild, Accept e os primeiros discos do Blind Guardian. E vou além: imagine o Bruce Dickinson cantando no Metal Church! É mais ou menos assim a sonoridade do Artch. Isso no primeiro álbum diga-se de passagem.

Os noruegueses lançaram apenas dois álbuns. O primeiro foi “Another Return”, saiu em 1988 e se tornou um clássico do grupo.

O nome original da banda era ARCH, mas um amigo deles quando desenhou o logo, adicionou um T no meio. A banda achou legal e passou a usá-lo.

Artch - Já imaginou o Bruce Dickinson cantando no Metal Church?

A formação inicial

A Artch foi fundada na Noruega em 1983 pelo baixista Bernt Jansen e pelo guitarrista Cato André Olsen, quando tinham por volta de 16 e 17 anos.  A formação se firmou com a entrada de mais dois integrantes. Esses membros vieram de outra banda local a “Oxygen”, são eles Geir e Jørn.

Depois de muito trabalho conseguiram um vocalista, e o escolhido foi Espen Hoff. Mas infelizmente Espen não chegou a gravar com a banda, pois morreu em 1985 em um trágico acidente de moto.

Oito meses depois da morte de Espen Hoff, o Artch conseguiu um substituto. Eirikur Hauksson, que  mudou-se da Islândia para a Noruega e passou a trabalhar arduamente no primeiro álbum do grupo.

Artch - Já imaginou o Bruce Dickinson cantando no Metal Church?

O primeiro disco

Para gravar o primeiro álbum, a banda fez uma troca pra lá de inusitada com um estúdio local, enquanto os membros do grupo ajudavam a construir o estúdio, em troca os donos do estúdio deram a gravação do primeiro álbum.

Em meados de 1987, o grupo entra em estúdio para gravar “Another Return”. Em 1988 finalmente Another Return é lançado e chama a atenção do público europeu, mas o álbum só saiu em alguns países, impossibilitando o crescimento do Artch.

O grupo recebeu ótimos reviews na imprensa inglesa com a Kerrang e a Metal Forces dando nota máxima para o álbum.

Com 10 músicas e todas de alto nível, o destaque fica para a faixa “Another Return to Church Hill“, que com suas iniciais formam o nome da banda.

As faixas “Power To The Man” e “Loaded” também representam ótimos momentos do disco.

O ponto alto do trabalho fica por conta da excelente voz de Eirikur Hauksson com um timbre semelhante ao de Bruce Dickinson e chamou muita atenção para o nome do grupo.

Artch - Já imaginou o Bruce Dickinson cantando no Metal Church?

Segundo disco e um longo hiato

Sem dinheiro e apoio algum, as turnês do Artch não foram muito além da Noruega e da Islândia.

Em 1990 o Artch começou a trabalhar em um novo material, mais pesado e com uma sonoridade remetendo a bandas como Metallica, Anthrax e Metal Church. Mas faltava dinheiro no grupo, e demoraram um pouco para gravar o álbum.

Tudo foi gravado e mixado em um mês “For the Sake of Mankind” não foi lançado em um bom momento, pois explodia a febre do grunge e as vendas do álbum não foram nada boas. O disco chegou a ser lançado nos EUA, Europa e Japão.

O Artch ficou em um hiato de oito anos sem fazer shows nem gravar nada. Em 1999 a gravadora Metal Blade entrou em contato com a banda para em 2001 lançar os dois álbuns remasterizados.

O cd Another Return saiu duplo com um cd ao vivo como bônus e o For the Sake of Mankind também veio duplo com músicas deste disco em versões demo .

Esses relançamentos estimularam o grupo a gravar duas novas músicas que serviram de bônus-track para o Another Return.

Em agosto de 2001 o Artch fez um show no festival Wacken. A banda continuou fazendo algumas apresentações em festivais na Europa e EUA, mas nada de material novo. Ainda se apresentaram em alguns festivais como o Sweden Rock Live em 2017.

O vocalista Eirikur Hauksson está atualmente como vocalista da banda de rock progressivo Magic Pie, que lembra um pouco Yes. Mas o seu timbre de voz continua inconfundível.
Falarei mais sobre o Magic Pie em um vídeo exclusivo sobre a banda.

Jornalista Filipe Souza - Cinco Miligramas de Misantropia

Filipe Souza

Editor / Jornalista Responsável

MTB32471/RJ

👽 Gateiro, thelemita, amo a cultura hindu;
👽Converso sobre aliens, esoterismo, Google Ads e receita de bolinho de chuva!
📀Colecionador de LPs, CDs, Livros e histórias;
🤘 Ah! E metaleiro;
🃏Jogo uns tarôs de Crowley;
– Jornalista, designer e Workaholic;
– Produtor de conteúdo e apresentador do canal Cinco Miligramas de Misantropia;
– Amo cozinhar e degustar cervejinha artesanal;

Curta e compartilhe essa misantropia