Facebook
Cinco Miligramas de Misantropia

Bitch Planet: uma jornada rumo à liberdade feminina

Bitch Planet: uma jornada rumo à liberdade feminina

Quadrinho distópico combina humor ácido com crítica social

“Bitch Planet – Planeta das Vagabundas – Volume 1”, publicada pela editora Conrad, desdobra-se em um cenário distópico, onde mulheres são exiladas de uma sociedade patriarcal ao menor sinal de desobediência, sendo lançadas a um planeta penal, o destino mais severo da galáxia. O lançamento ocorreu em 26 de março, em plataformas digitais e lojas especializadas, tanto em formato digital quanto impresso.

Contexto e crítica social

Escrita por Kelly Sue DeConnick e ilustrada por Valentine De Leandro, a narrativa segue mulheres que, ao desafiarem as normas impostas pelos homens, são forçadas a trabalhar juntas para sobreviver em um ambiente marcado por guardas corruptos e esportes mortais. A obra usa o humor ácido para comentar as exigências extremas do patriarcado, refletindo problemas persistentes na nossa sociedade.

“Bitch Planet” não apenas questiona as expectativas tóxicas em relação às mulheres, mas também as coloca em um jogo de sobrevivência, onde a união e a resistência se tornam suas maiores armas contra a opressão. A trama aborda desde padrões estéticos até comportamentais, pintando um quadro cruel mas realista do que significa não se encaixar.

Bitch Planet: uma jornada rumo à liberdade feminina

Arte e impacto visual

A combinação das ilustrações de Valentine De Leandro com as cores de Cris Peter, colorista brasileira, cria uma atmosfera intensa, repleta de sombras e cores vibrantes que destacam a revolta e a acidez do contexto. O estilo visual não apenas complementa, mas intensifica a mensagem poderosa da história.

Kelly Sue DeConnick: uma autora revolucionária

Kelly Sue DeConnick, conhecida por revitalizar a imagem de Carol Danvers como a Capitã Marvel e ganhadora do Eisner por “Mulher-Maravilha: Historia”, traz sua expertise em narrativas femininas fortes para “Bitch Planet”. A autora tem sido uma voz significativa no universo dos quadrinhos, tanto por seus roteiros quanto por sua atuação como atriz e roteirista de TV.

Conrad Editora: inovação e diversidade

Fundada em 1993 e adquirida pelo Grupo IBEP em 2009, a Conrad tem sido pioneira na inclusão de quadrinhos em livrarias brasileiras. Com uma missão de oferecer diversidade de ideias e provocar reflexões essenciais, a editora agora aposta em um ambicioso projeto digital, lançando obras de autores nacionais e internacionais em formato digital e impresso.

Conclusão

“Bitch Planet” é mais que uma história de ficção científica; é um manifesto sobre liberdade, resistência e a luta incessante das mulheres contra as imposições de uma sociedade que busca silenciá-las. É um lembrete crucial de que a união e a coragem são fundamentais na jornada por justiça e igualdade.

Informações adicionais

Bitch Planet – Editora Conrad

  • Autora: Kelly Sue DeConnick
  • Ilustrador: Valentine De Leandro
  • Páginas: 136
  • Preço: R$ 59,90 (versão impressa) e R$ 41,90 (versão digital)
Jornalista Filipe Souza - Cinco Miligramas de Misantropia

Filipe Souza

Editor / Jornalista Responsável

MTB32471/RJ

👽 Gateiro, thelemita, amo a cultura hindu;
👽Converso sobre aliens, esoterismo, Google Ads e receita de bolinho de chuva!
📀Colecionador de LPs, CDs, Livros e histórias;
🤘 Ah! E metaleiro;
🃏Jogo uns tarôs de Crowley;
– Jornalista, designer e Workaholic;
– Produtor de conteúdo e apresentador do canal Cinco Miligramas de Misantropia;
– Amo cozinhar e degustar cervejinha artesanal;

Curta e compartilhe essa misantropia